O dia em que eu me atrevi a resenhar Marcel Proust

Domingo, 22 de novembro de 2020 (porque não temos tempo a perder) “E compreendi que a matéria da obra literária era, afinal, minha vida passada.” – Marcel Proust, O Tempo Redescoberto (volume 7 de Em Busca do Tempo Perdido) Esta crônica de hoje eu escrevi alguns anos atrás quando terminei de ler Em Busca do... Continuar Lendo →

Pelo que o Marechal Deodoro disse que nos faltará sempre.

Domingo, 15 de novembro de 2020 (dia da Proclamação da República) "Este solo é ruim para certos tipos de flores. Não nutre certo tipo de sementes, não dá certo frutos, e, quando a terra mata voluntariamente, aquiescemos e  dizemos que a vítima não tinha o direito de viver. Estamos errados, é claro, mas não tem... Continuar Lendo →

Por quem bate o sino – outra crônica de irrelevâncias

Segunda-feira, 2 de novembro de 2020 (dia de finados) Esta era uma crônica para 31 de outubro, dia das bruxas, mas um acidente de percurso me fez perder totalmente o arquivo na hora de postar. Daí eu resolvi reescrever e postar no dia seguinte, Dia de Todos os Santos, mas a preguiça de começar tudo... Continuar Lendo →

Aos mestres, com carinho

Quinta-feira, 15 de outubro de 2020 (tempo de férias, vamos à escola!) 15 de outubro, dia do professor. Uma das datas comemorativas mais populares no tempo da minha vida escolar. Era sempre um evento naqueles tempos que já longe vão… Moisés de Michelangelo, por mim e pela d. Nair Sempre que penso em professores, tem... Continuar Lendo →

De uma simplória visão de 3 Ps – sobre o tempo de acordar.

Quarta-feira, 30 de setembro de 2020 (september ends)  No começo da quarentena, cinco meses atrás, numa reunião para o planejamento  de uma escala de trabalho na pandemia, ouvi do diretor da empresa onde trabalho que as previsões dos consultores e executivos a respeito da volta ao regime Normal seria só pelo final de setembro. O... Continuar Lendo →

Já dizia Ruy Barbosa…

Quarta-feira, 23 de setembro de 2020 (e eu nem assisto ao Jornal Nacional) Para quem não conhece, apresento agora esta que é uma das minhas tirinhas favoritas da atualidade: Dona Anésia! Dona Anésia é uma personagem criada pelo cartunista Will Leite, inspirada nas suas avós, segundo ele mesmo conta. É uma velha rabugenta, mal-humorada, 100% prática,... Continuar Lendo →

Pequena crônica para amanhã

Segunda-feira, 31 de agosto de 2020 (e nós ainda estamos por aqui) Amanhã Se devoras teus sonhos quando se ensaiam apenas e secamente represas essa linguagem de flores e teu desejo de asas que restam subterrâneas, quem serás tu, depois do grande sono, amanhã? Este lindo poeminha é da escritora/dramaturga/jornalista/poetisa (ela preferia ser chamada de... Continuar Lendo →

Para ir tocando a vida

Sábado, 15 de agosto de 2020 (e lá se foi a metade do ano e com ela muitos se foram também...) Ontem à noite, pela primeira vez desde o início da quarentena, recebemos amigos em casa. Até ontem só tínhamos recebido, esporadicamente, com todos os cuidados e por partes, nossas famílias. O pequeno grupo (dois... Continuar Lendo →

Nós que passamos apressados pelas ruas da cidade

Sexta-feira, 31 de julho de 2020 (fechando mais um ciclo da lua) "Onde houver gentileza, haverá sempre um gesto que surpreenda. Amor se esconde nas coisas pequenas. E a amizade, nas atitudes que refletem maiores que a presença.".               José Datrino, Profeta Gentileza                Atendendo a uma convocação do serviço público eu agora trabalho em horário especial de pandemia.... Continuar Lendo →

O tempo e o vírus

Terça-feira, 30 de junho de 2020 (de outra terça-feira) "Os tempos mudavam, no devagar depressa dos tempos." Esta é uma frase do conto A Terceira Margem do Rio, de Guimarães Rosa. Apesar de conhecer de nome, o conto, só na semana passada foi que o li inteiro. É um conto tão enigmático quanto seu título,... Continuar Lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: